terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Devaneio 4

Nesses últimos dias, tenho pensando bastante sobre um assunto bem amplo e bem intrigante: educação. Essa é, com certeza, uma palavra q abrange muitas coisas, mas p/ simplificar a vida, vamos tratar aqui apenas de um aspecto de cada vez (ou o post vai ficar gigantesco! =P AHUUHA). Dessa vez vamos falar sobre o ensino público. Sobre ele, só tenho a dizer que depois de mais de 4 anos estudando em escolas públicas (leia-se: faculdade e técnico), ainda não entendi o pq de tanto alvoroço em torno delas. Os professores e a comunidade em geral costumam falar dessas escolas como se entrar e estar nelas fosse uma coisa de outro mundo, feita p/ poucos privilegiados, mas eu particularmente não vejo nada de mais. Pelo contrário, essa burocracia para se contratar novos professores, as greves, a falta de material e a falta de comunicação entre funcionários e alunos são coisas bastante irritantes até. A impressão q se tem é q as escolas públicas são todas uma grande zona, não importa o esforço de alguns poucos p/ tentar melhorá-las. E isso sem contar com o nível de certos professores. Sim, pq é até possível encontrar alguns q realmente saibam a matéria q pretendem lecionar e outros ainda q tenham uma didática bem legal, mas encontrar essas duas coisas numa mesma pessoa é bem raro. Triste, mas verdade. Professor de escola pública só é professor por um desses dois motivos: por vocação ou por falta de opção. Não deve ser nada fácil ter q ensinar uma sala com 40 alunos ganhando quase nada por hora. Ainda mais quando inventam essa tal de quota p/ estudantes de escola pública! P/ mim, o certo seria melhorar o nível do ensino médio para q os alunos possam concorrer às vagas de maneira mais justa. Pq senão, o q vai acontecer é: as faculdades públicas vão ter q baixar seu nível p/ se adequar aos novos alunos ou esses alunos não vão conseguir sequer terminar o primeiro ano por não conseguirem acompanhar o ritmo dos alunos q vieram das escolas particulares. De um jeito ou de outro, essa história de quota foi uma péssima idéia! (E não, eu não concordo com essas pessoas q dizem q ensino ruim é melhor q ensino nenhum. Ensino ruim é só perda de tempo e dinheiro e, além disso, é muito mais difícil corrigir alguém q tenha aprendido errado do q ensinar certo a alguém q ainda não tenha aprendido nada). Mas se mesmo com tantos problemas, estudar em escola pública ainda dá status, a pergunta é: o q fazer p/ esse status ser merecido??? Alguém aí tem alguma sugestão?

(*Sim, eu deveria estar na aula agora, mas sou vagal e estou gastando meu tempo filosofando sobre a vida ao invés disso! XP HAUUHUHA*)

Próximos devaneios: a educação na relação pais x filhos e a educação na relação professores x alunos.

4 comentários:

Takeo-san disse...

pois é neh...
ensino público hoje em dia é um mero nome!
Qualidade mesmo, eu não vejo muito...
é professor ruim, professor que só quer saber do governo pra bancar as pesquisas deles, e são obrigados q ficar na frente de um monte de aluno sem ter o mínimo de vontade de ensinar!

É uma desgraça ter q aguentar esse tipo de gente, e ter q encarar que os professores interessados são menos de 1% do total de professores do local...
tsc tsc...

Fazer o que né?

Wilson disse...

Li tbem. lido.. so para constar.
" Educação é um processo vital no qual concorrem forças materiais e espirituais.. a vontade livre do educando.. e a vontade consciente do educador"

Cid disse...

Nossa, será q alguém especial te deu inspiração para este texto???
Independente disso você tem toda razão, essa estória de cotas é uma grande palhaçada, é uma forma que o governo achou para fugir da responsabilidade de dar uma educação de qualidade.

Ah...só pra completar, vc seria uma ótima política. Com um discurso desse eu votaria em vc. (rsrs)
bjo e parabéns pelo texto, mto bom .

bruno brus disse...

priminhassssss!!passando´para deixa!!
meu apelo!!!!!canta uma musica para mimmmm!!hauHAUhauHAUhaUA!!
tudo de bom pra ti martaaa!!
felicidades sempre na sua vidaa!!
bjnhusss!!bruuuuu.